Como ser gótico e suave para agradar a tradicional família brasileira

Televisão

No último domingo presenciamos lindas garotas em um programa da Globo mostrando uma nova vertente da subcultura gótica que surgiu de uma piada na internet. Será que existe um lado bom nisso?

 

Em pleno domingo de sol, algo que eu sequer imaginei aconteceu. O programa Esquenta da Rede Globo colocou brevemente na frente dos olhos do Brasil um universo que eu acreditei que não transcenderia a rede mundial de computadores, em especial o Twitter, o Tumblr e o Instagram.

Ao lado da Regina Casé, presenciamos a maravilhosa Julia Petit conduzindo uma efêmera e engraçadinha conversa sobre uma derivação moderna e 100% online de uma das subculturas que mais fez as mães arrancarem cabelo desde anos 80.

Estamos falando do Gótico Suave.

Gótico Suave Video
Clique nas góticas suaves para ver o vídeo

Regina Casé falando que foi chamada de gótica suave em pleno meio dia em um domingo na maior emissora de TV do Brasil. Antes de falar o significado imenso desse evento, preciso dividir essa gloriosa lista de coisas que eu puxei da minha memória para ajudar você que não conhece muito sobre o assunto.

Os Góticos na Rede Globo

Se você nasceu antes da década de 90, sabe que os góticos não são exatamente uma novidade na pauta da emissora. A Globo já explorou bastante a subcultura na sua programação. O que não quer dizer que é uma coisa boa. Por exemplo:

Em novelas

Eri Johnson foi Reginaldo, um gótico bem anos 80 que tinha um quarto com paredes pretas na novela De Corpo e Alma, de 1992. Ele inclusive era apaixonado pela Yasmin, personagem interpretada pela Daniella Perez. A atriz morreu na época das gravações da novela em um caso bizarro e ultra midiático. Apesar de tudo ser bem mórbido, a música tema do personagem era do Caetano Veloso, o que não faz o menor sentido.

O vídeo abaixo mostra os perrengues de ser gótico em horário nobre:

E aqui um dos delírios amorosos do personagem com direito a Daniella Perez de asas negras:

Também tivemos uma temporada qualquer de Malhação misturando góticos com adolescentes de uma maneira no mínimo lamentável:

No jornalismo

Tem essa matéria genial do Caco Barcellos sobre gangues de rua nos anos 90 mostrando uma dessas baladas góticas pesadas da época, com direito a Dark Room e tudo:

O Multishow também dedicou um programa da série Tribos inteiro à bagunça generalizada que o gótico virou quando apareceu o Gothic Metal:

O surgimento do Gótico Suave

Gótico Suave Wiki How

A primeira vez que eu vi esse termo “gótico suave” foi em um tutorial no mínimo bizarro do WikiHow, que provavelmente traduziu o famoso pastel goth de maneira questionável. Virou piada no Twitter logo em seguida, mas, por alguma razão que desconheço, o pessoal adotou o nome por aqui no Brasil pra valer, com várias blogueiras criando os seus tutoriais de beleza e estilo.

Mas a verdade é que desde que resolvi me aventurar nas trevas eu sei que existem meninas super adeptas do pastel goth, mesmo sem saber que esse seria o nome. No auge do DeviantArt existiam muitos ensaios fotográficos que flertavam com essa mistura de tons mais suaves, misturando o preto e roupas agressivas com cores em sua versão pálida. Vale lembrar que a Marimoon trouxe um pouco disso na época do Fotolog numa corrente mais puxada pro lado dos emos e popularizou o estilo entre seus seguidores.
Gótico Suave Marimoon

Sem falar que a cultura japonesa é também uma grande influência, principalmente pela mistura de estilo amplamente difundida pelos integrantes de bandas de J-rock que são adeptos do gothic lollita ou EGL, provavelmente nascido no simbólico bairro fashion de Tóquio, Harajaku.

Gótico Suave Gothic Lolita

Mas de uns tempos pra cá deu pra perceber que a meninada está menos hardcore ou fantasiosa na hora de se vestir, indo mais por uma vertente fashionista e equilibrada com o mundo normal e o estilo gótico. Chapéu, batom preto sem maquiagem pesada nos olhos, roupas nem sempre pretas, mas sempre muito sóbrias, misturando peças mais simples com acessórios mais agressivos, como correntes, spikes e etc. Não tem mais aquela pegada de morcegão, sabe? Eu diria que é um jeitinho mais socialmente aceito de ser gótico.

O que não faz o menor sentido.

O que isso tudo significa?

Antes tema de excentricidade e loucura nas pautas da Globo, os góticos surgem nessa versão mais fofinha e fashion no Esquenta pra mostrar pro pessoal que é bonito, bacana, que as pessoas adoram e que todos também podem ser. Apesar das meninas falarem que as pessoas olham estranho na rua, elas todas são lindas e sorridentes. Fiquei aqui quase dois dias me perguntando como chegamos nesse ponto.

Desde o começo dos anos 10, as redes sociais se popularizaram o suficiente para a grande maioria de nós sermos movidos a likes e aceitação social. O engraçado é que em tempos de clemência pela atenção alheia os estilos que antigamente eram sinônimo de rebeldia e controvérsia agora sejam amenizados para se tornar um item para conquistar a popularidade entre os amigos reais e virtuais. E para a aprovação da mamãe também, afinal de contas indispor com os progenitores não é uma boa ideia, né?

A parte que eu acho bem triste, por exemplo, é que provavelmente a molecada de hoje em dia pouco se aprofunda no significado da sua auto imagem, jogando fora a oportunidade ótima de ser adolescente sem compromisso para brigar com o universo e chocar as pessoas… só não uso aqui a expressão “ter ideologia” pois acho que é um termo que idiotiza a capacidade de raciocínio de quem gosta de contestar as coisas. Vale mais uma foto pro Instagram sendo muito darks. Depois passa e vai ficar tudo certo.

Existe um lado positivo? Claro que sim.

Gótico Suave Negra

A mini apresentação da Globo mostrou uma questão raramente abordada no meio que é a presença dos negros no movimento. Nos vídeos das matérias da Globo que coloquei acima dá pra perceber que eles sempre estiveram na cena mas são pouco retratados como símbolos de beleza. Uma leitura indicada sobre o assunto é este artigo incrível da Lídia Zuin sobre a representação dos negros entre os góticos.

A exposição nos grandes veículos também ajuda quem gosta de se vestir assim. Quando eu comecei com toda essa história de me vestir de preto e ser trevosa era muito mais difícil achar acessórios e roupas fora da Galeria do Rock. Hoje existem muitas lojas nacionais online focadas no nicho com coisas maravilhosas e também é fácil encontrar em lojas de fast fashion coisas que se encaixam perfeitamente na hora de montar um visual. Fica por sua conta e risco o quão dark você quer ser e o quanto você se irrita por ter gente vestindo as mesmas peças de roupa do seu armário.

E você? Acha legal? Deixa seu comentário sobre suas experiencias e sua opinião aí nos comentários.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *