Vampiro Americano #1

Vampiro Americano #1

Depois dessa loucura de febre de vampiros por causa da saga Crepúsculo, coisa que acontece de tempos em tempos na industria do entretenimento quando algum filme do genêro é lançado (vide Entrevista com o Vampiro), alguma coisa de boa tinha que sair disso. Aos poucos ótimas histórias vão aparecer por aí, como é o caso de American Vampire.

Criada pelo escritor e roteirista Scott Snyder e ilustrada pelo nosso brasileiro Rafael Albuquerque, essa série conta com a ilustríssima escrita de Stephen King, meu ídalo (sic) de muitos anos. Quem leu A Hora do Vampiro (ou Salem’s Lot, que é o nome real e bem melhor que esse nome em português) sabe que King destrói na hora de criar uma atmosfera densa e cruel com vampiros.

O universo de American Vampire gira em torno de um vampiro americano (óbvio, Larissa) chamado Skinner Sweet, que é completamente diferente da parentaiada européia. Mas isso ainda não fica tão claro no primeiro volume, então não vou entregar o ouro ;P Só que cada volume contem 2 histórias: as de Pearl, a primeira pessoa transformada por Sweet para ser vampiro que são escitas por Snyder e as outras do vampiro petulante Sweet, escritas por King.

A Chance Grande

American Vampire 1 - Pearl

Tudo começa com a personagem Pearl, uma bela jovem tentando a carreira artística em Hollywood na década de 20 que procura sempre novas oportunidades para alavancar a sua carreira mas acaba caindo em uma cilada. Os primeiros quadros já tem cenas cruéis e que você não vai entender nada se não ler até o final. Lógico.

Mas a grande sacada fica por conta da inocência da moça. As palavras que acompanham esses primeiros quadros sozinhas já garantem a qualidade da HQ, lendo o resto então é sucesso. Só que eu não sei se tive uma certa identificação com a personagem, mas esse jeito bobo de falar das coisas que gosta e do porque querer alcançar um objetivo me lembrou eu mesma, que foda isso. Até mesmo o comportamento dela perante a emboscada: tão tonta que me imaginei ali. Pois é.

Sangue Ruim

American Vampire - Sweet

Sangue Ruim conta como Sweet se transformou em vampiro e qual foi a situação. Antes ele era ladrão de bancos, e tudo acontece em uma emboscada feita por seus comparsas para ele ser libertado da iminente condenação de seus crimes. Mas como sempre as coisas não saem perfeitas do jeito que devem ser e é isso que dá sentido a vida, que nesse caso não é tão viva assim.

Ah, o jeito de King pra escrever, seus dialogos, todo aquele ódio cuspido em cada palavra entre os personagens… Eu tava com uma saudade disso! Juntando esse dom com o personagem em questão, só poderia dar certo.

Resumindo: American Vampire é INCRÍVEL. Não só nas ilustrações cheias de estilo do Rafael Albuquerque (este que me disse pelo twitter que talvez saia esse ano aqui no Brasil o/), mas no roteiro. É demais. Leia como se não houvesse amanhã, principalmente se você está cansado de vampirinhos fofos e brilhantes, o vol. 1 é espetacular.

Comentários


3 thoughts on “Vampiro Americano #1”

  • Fiquei interessado na HQ agora! Antes só tinha ouvido falar e pensado "mais vampiros?!". Inclusive não sei o que pensar da marvel colocando vampiros com os x-men… enfim, uma coisa que primeiro me fez ficar com cara de WTF? e depois pareceu uma ótima sátira foi mais uma ha nessa onda.. a do Pinocchio Vampire Slayer. Pinóquio mentindo de propósito pro nariz crescer e usar como estaca em vampiros? awesome! XD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *