Abara #1

Abara #1

Demorou pra falar de mangás aqui né? Pois é meu amigo, foi por causa deles que eu comecei a ler Sandman, então nunca subestime o poder dos desenhos japoneses.

Já havia algum tempo que eu não comprava mangás. Só que em uma ida a uma banca de jornal (isso é sempre tão perigoso, saio pobre sempre) eu me deparei com a capa de Abara. Como eu gosto de mangás que não são fofos! Sempre são subestimados, mas são os melhores, veja Éden e Monster por exemplo.

Olha só o porque eu me interessei logo de cara:

Abara

Não é pra amar? <3

Enfim, comprei no ato e fui lendo direto. A conclusão que eu cheguei foi um grande WTF.

Em um lugar com uma geografia completamente bizarra, uma cidade se desenvolve acima de algo que é muito mais do que um monte de relevos e montanhas exóticas. Já de ínicio vemos uma pessoa procurando o serviço precário de atendimento para ser atendido com urgência. Sua mão não para de se mexer involuntáriamente. E daí começam a acontecer diversas manifestações de Gaunas pela cidade. Gaunas são criaturas antigas envoltas por um tipo de carapaça inexplicavel.

Gauna Branco - Abara

Isto é um Gauna Branco

A trama corre em volta da Kegenryou (organização vigilante especializada em controlar Gaunas) e seus agentes, o departamento de segurança nacional e de seres estranhos soltos pela cidade. O grande problema desses Gaunas é que eles comem pessoas, muitasao mesmo tempo. Aparentemente estão tentando esconder a todo custo aexistenciadosgaunas, mas como alguns civis se tornaram involuntariamente começa a ficar difícil.

Há uma diferença entre essas criaturas: existem Gaunas brancos e negros, e não entendi nadada diferença entre eles. Talvez no segundo volume seja melhor explicado.

O roteirista e desenhista desse mangá, o Tsutomu Nihei, realmente fezalgo muito denso nas ilustrações. As perspectivas da cidade são incríveis por ter muitos prédios e poços, mas as cenas de batalha dos Gaunas ficam muito difíceis de entender por causa dos milhares de detalhes e da intensa utilização do preto.

Bom, eu ainda quero ler o segundo volume mas eu não entedi quase nada ainda.

Comentários


3 thoughts on “Abara #1”

  • Tsutomi Nihei gosta criar de histórias confusas, onde pouco se entende. Na verdade, desde que li o aclamado "Blame!", percebi que na verdade a grande história está no cenário que ele apresenta. O desenvolvimento do cenário e a sua influência sobre a vida dos personagens é o que importa, para ele.

  • @Emanoel Melo

    Bom ouvir coisas de quem conhece o trabalho do cara, os cenários realmente são absurdos e doidos e acabam sendo o destaque, ao invés da história.

    @Alfio

    é duro lidar com o vício sem ficar pobre hehe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *